Famosa entre as pimentas, a capsaicina pode ser um grande reforço no organismo. Atuando como antioxidante e anti-inflamatório, o composto é facilmente encontrado em pimentas. Vários estudos indicam ainda a sua potencialidade para a perda de peso. Conheça um pouco mais do composto que arde, mas também pode curar.

Para que serve?

Pimenta-malaguenta fonte de capsaicina
Pimenta-malaguenta é uma excelente fonte de capsaicina.

A capsaicina é um composto químico presente em todas as pimentas. Ela é o elemento que define o nível de ardência que o alimento possui.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Portanto, é possível observar que esse composto está presente de forma mais intensa em algumas pimentas do que em outras. Ele é o princípio ativo das pimentas chilli, conhecidas como uma das mais ardidas quando se fala em pimentas de utilização gastronômica.

Muito além da ardência e do gosto característico na comida, a capsaicina é importante principalmente devido ao seu benefício para a saúde. Esse elemento fortalece o sistema imunológico, ajuda na prevenção de determinados tipos de câncer, melhora a circulação, acelera o metabolismo, entre outros benefícios.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Onde encontrar

Quando se fala em capsaicina, sua localização mais conhecida é obviamente as pimentas. Pimenta chilli, caiena, malagueta, do reino, rosa, e diversos outros tipos apresentam essa substância. Entretanto, o que poucos sabem, é que a capsaicina pode ser encontrada em todas as plantas do gênero Capsicum – pimentões, batatas e tomates. Nessas plantas, elas estão presentes nas sementes e nos frutos.

A presença da capsaicina nesses elementos das plantas Capsicum faz com que as sementes e frutos não sejam consumidas por mamíferos na natureza. São os pássaros que encontram na capsaicina um analgésico ao invés de irritação por ardência. Muitas dessas sementes e frutos são dispersadas por essas aves, e, sem sofrerem danos, continuam aptas para a germinação após o processo.

A capsaicina também já pode ser encontrada em forma de medicamento para o tratamento de dores. Essa utilização ocorre principalmente para o tratamento de condições neurogênicas. Entretanto, o uso da capsaicina em forma de remédio deve ser feito apenas através de recomendação e aprovação médica.

Abaixo, as pimentas que possuem maior concentração desse composto:

infográfico-pimentas-mais-ardidas-do-brasil
Pimentas mais ardidas do Brasil.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Pesquisas sobre a ação da Capsaicina na perda de peso

Pesquisas cientificas nas pimentas

A Capsaicina presente nas pimentas chilli promovem a perda de peso? A resposta é simples: sim. A Capsaicina, o composto nas pimentas chilli que as fazem apimentadas, é apontado como aliado para a perda de peso. Proponentes afirmam que essa substância natural pode ajudar a acelerar o metabolismo e diminuir o tecido adiposo, assim como evitar o um consumo excessivo de comida realizando o controle do seu apetite.

A pesquisa e resultados na perda de peso

Os cientistas ainda precisam confirmar através de estudos mais completos que a capsaicina pode servir com auxiliar para a perda de peso. Entretanto, algumas pesquisas iniciais sugerem, sim, que esse químico apimentado pode ser benéfico de alguma forma se você está tentando emagrecer.

Para um relatório publicado na Appetite, em 2014, cientistas avaliaram ensaios clínicos publicados anteriormente que investigavam os potenciais benefícios dos compostos de capsaicina na ingestão de energia. Em sua revisão, os autores do relatório encontraram evidências de que o consumo de um mínimo de 2 mg de compostos de capsaicina (conhecidos como capsaicinóides) antes de uma refeição reduziam o consumo energético em 74 calorias durante a refeição.

Para afirmar ainda mais o efeito desse composto, apresentamos aqui diversas outras descobertas de estudos que ligam capsaicina e perda de peso:

Curta para receber conteúdos exclusivos!
(Matéria continua abaixo)

  • Apetite: O mecanismo por trás do suposto efeito saciante da capsaicina pode ser atribuído a uma alteração na preferência por alimentos ricos em carboidratos sobre os alimentos com maior teor de gordura, de acordo com o estudo Appetite. Em um estudo publicado no American Journal of Clinical Nutrition, em 2016, o consumo de capsaicina promoveu saciedade mas não afetou os níveis dos hormônios da saciedade “glucagon-like peptide-1 (GLP-1) e peptídeo YY (PYY)”. Como alternativa, os pesquisadores sugerem que a saciedade induzida pela capsaicina pode estar relacionada ao aumento dos sintomas gastrointestinais, como dor, sensação de queimação, náusea e inchaço.
  • Metabolismo: O consumo de capsaicina e dos compostos não-picantes da pimenta chilli (conhecidos como capsinoides) podem aumentar o gasto de energia e a oxidação de gordura, de acordo com um relatório publicado no Critical Reviews in Food Science and Nutrition. Pesquisadores avaliaram estudos publicados previamente e descobriram que em pesquisas onde participantes possuíam um índice de massa corporal (IMC) médio que se enquadra na faixa de sobrepeso ou obesidade, a ingestão de capsaicina ou capsinoides aumentou o gasto de energia e mostrou sinais de aumento da oxidação de gordura.
  • Gordura corporal: Em adição à redução do consumo energético, estudos preliminares sugerem que o consumo de capsaicina pode reduzir as medidas na região da cintura e do quadril. Em um estudo publicado na Appetite em 2017, pesquisadores descobriram que o consumo de 2 mg de capsaicina por dia aumentou a perda de peso nessa região em seis semanas, tudo isso em comparação com a alta dose de ingestão de capsaicina ou um placebo. A composição corporal, no entanto, não foi significativamente afetada.

Efeitos colaterais possíveis

Pimenta Chilli

A capsaicina é geralmente considerada segura quando consumida com moderação através de alimentos. Entretanto, os suplementos de capsaicina podem causar efeitos colaterais como  irritação no estômago, dor de estômago, inchaço, e a agravação de úlceras e azia. 

O consumo elevado de capsaicina pode resultar em efeitos maléficos à saúde. Por exemplo, há uma preocupação de que o consumo de grandes quantidades de capsaicina a partir da pimenta chilli possa aumentar o risco de câncer gástrico. (Baixa ingestão de capsaicina, no entanto, parece proteger contra o câncer gástrico, de acordo com uma análise).

Além disso, suplementos de capsaicina podem interagir com certos medicamentos (incluindo aspirina e medicamentos para afinar o sangue) e suplementos. Portanto, eles não devem ser consumidos sem aprovação médica. Além disso, os suplementos de capsaicina não devem ser tomados dentro de duas semanas de uma cirurgia agendada.

Também existe outra preocupação sobre o uso dos suplementos de capsaicina ou capsaicina tópica. Especula-se que ela pode desencadear o espasmo coronário e aumentar o risco de um ataque cardíaco em algumas pessoas.
É importante manter em mente que a segurança de suplementos em grávidas, mulheres amamentando, crianças, pessoas que possuem condições médicas ou estão tomando medicações, não foi estabelecida.

Leia também: Tudo sobre Ashwagandha,

Quadro geral de saúde

Ainda é muito cedo para recomendar suplementos de capsaicina (ou uma alta ingestão de pimenta) para perda de peso. Mesmo assim, aumentar a ingestão de capsaicina adicionando pimenta chilli, pimenta caiena ou páprica em pequenas quantidades à sua cozinha pode resultar em benefícios para a sua saúde geral e a da sua família (em parte devido aos efeitos antioxidantes do composto).

Reforçando: se você ainda está considerando o uso de suplementos de capsaicina, certifique-se de consultar primeiramente o seu médico para ter certeza de que é adequado para você.

Benefícios do uso

Além de ser um grande aliado no emagrecimento, ela é um composto que causa outros efeitos positivos no organismo. O seu consumo realizado de forma adequada e consciente, pode ser uma forma natural de medicamento para certos problemas rotineiros e até mesmo doenças mais graves.

Humor

A ardência da ingestão dela resulta na liberação de endorfina, um neurotransmissor que ajuda no controle da dor. Durante o processo, também é liberada a dopamina, exercendo um efeito relaxante no organismo e causando uma sensação de bem estar.

Glicose

Um dos benefícios surpreendentes da capsaicina é o auxílio para pessoas com diabetes. Um estudo publicado pelo American Journal of Clinical Nutrition, revelou que a ingestão de pimenta nas refeições dos participantes promovia a redução da necessidade de ingestão de insulina. Essa ação é especialmente importante para a prevenção de hipoglicemia e hiperglicemia.

Colesterol

Segundo estudos realizados pela Chinese University of Hong Kong, a ingestão de capsaicina atua na redução de colesterol no sangue. Esse efeito é extremamente importante para a prevenção de doenças cardiovasculares. A capsaicina ainda ajuda a evitar a contração das artérias, combatendo bloqueios na passagem de sangue.

Pressão arterial

A realização de diversos estudos já apresentou a capsaicina como importante auxiliar para o controle da pressão arterial. Isso ocorre porque a capsaicina possui a capacidade de ativar certos canais dentro das artérias. Com isso, acontece o aumento da produção de ácido nítrico, elemento que promove a dilatação dos vasos sanguíneos e os protege contra inflamações.

Câncer

Pesquisas realizadas ao redor do mundo mostraram a capacidade da capsaicina de destruir células de câncer em alguns órgãos – como pâncreas e pulmão. Outros estudos apontaram que a capsaicina atuou na diminuição de tumores de próstata em grandes porcentagens.

Antioxidante e anti-inflamatório

As propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias da capsaicina têm sido comprovadas por estudos há muitos anos. Ela atua diretamente nas enzimas superóxido dismutase (SOD) e glutationa peroxidase, reduzindo a sua perda de função. Ainda, a capsaicina reduz a oxidação de proteínas e lipídios.

Dentro dos seus benefícios, a capsaicina ainda combate danos causados pela radiação, protegendo o organismo contra poluição, raios ultravioleta e outras substâncias químicas.

Leia também: Ashwagandha (Ginseng Indiano): Para que serve?

Como é feita a extração do composto?

Fontes:

Deixe sua opinião ou dúvida sobre o artigo, nos comentários!
Que nota você dá para nossa matéria?
[Total: 1 Média: 5]

Este post tem um comentário

  1. Adorei a matéria!

Deixe uma resposta